domingo, 20 de dezembro de 2015

Distração

Ao meu lado: - ninguém. ...
O olhar vazio da janela aberta
Como a órbita fria de uma estátua
Por onde fito o além
....................................
O luar entra em meu quarto,  suave,
Tão de leve,
Em seu alvor de neve,
Que só o sinto presente, quando a sua Luz
Na pontinha dos pés,  atravessando o quarto,
Sobe na minha mesa e indiscreta vem ler
O derradeiro verso que compus. ....

Nesses momentos. ...longe. ...distraído. ....
Deixo em minha alma outra janela aberta
Para o recreio do meu pensamento
E onde se vai,  sozinha,  debruçar
Minha imaginação. ...
E existe um outro céu. ....
E existe um outro luar. ...
Que a encontrando vazia
Vai entrando em minha alma tão mansinho
Que os meus passos nem pisam pelo chão. ....
...............................................
Esqueço sempre essa janela aberta,
Não sei se por querer, não sei por que. ...
Talvez eu goste desse lugar tão leve
Por que ele entra em minha alma como a imagem
Da imagem de você. ....

Pela janela do meu pensamento,
Nas horas de tristeza e solidão,
Você chega em minha alma
Tão de leve
Que eu vejo a sua Luz por mim passando
E nem ouço os seus passos pelo chão. ...
J. G. de Araújo Jorge

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...